Voltar para o topo

Pensamento do dia:

Eduque as crianças e não será necessário corrigir os homens.

Pitágoras

A verdadeira coragem

Arquivado em Contos | 3.080 visitas | Tags: , , ,
O que indica a verdadeira força?

O que indica a verdadeira força?

Certa vez, uma região na China vivia sob a ameaça de bandidos saqueadores que iam de povoado em povoado e em cada local que chegavam não só roubavam tudo como matavam todos que tentassem impedi-los. Nos povoados sempre existia alguém que ficava observando à distância a chegada dos bandidos, para que, se estivessem se aproximando de lá, rapidamente desse o aviso para que todos fugissem, salvando duas vidas.

E assim ocorreu em um certo povoado: com a aproximação dos bandidos, todos fugiram. Todos, menos um homem velho, considerado de grande sabedoria. Ele continuou calmamente fazendo os seus deveres, como se nada estivesse para ocorrer.

Quando os bandidos chegaram no povoado, perceberam que, como de costume, o local estava vazio. Até que viram que um velho não tinha ido embora e ignorava a presença deles, como se não tivesse medo. Foram então contar isso para o chefe dos bandidos que invadiu o casa do ancião jogando a porta longe, fato que não causou nenhum espanto no sábio, pois este continuou em sua tranquilidade, preparando sua refeição.

O bandido então sacou sua espada e se aproximou daquele pequeno velhinho e lhe disse, encostando a espada em seu pescoço: “Você sabia que eu posso arrancar a sua cabeça, sem nem chegar a piscar um olho?”

O sábio parou o que estava fazendo, olhou o bandido em seus olhos, com profunda serenidade, porém com grande força interior e firmeza, e disse-lhe: “E você, forasteiro, sabia que eu posso permitir que você arranque a minha cabeça e mesmo assim eu também não vou chegar nem a piscar um olho?!”

O bandido ficou confuso. Em sua vida, nunca tinha visto alguém não temer a morte. Sem saber o que fazer, ficou olhando o velho e este virou de costas para o bandido e continuou preparando sua refeição, como que ignorando a presença daquele hóspede indesejável. Sem saber o que fazer, mas reconhecendo que estava diante de um homem notoriamente mais forte do que ele, não em força física, mas em valor moral, percebeu que não tinha o que fazer contra aquele pequeno homem e, guardando a espada, se retirou da casa e deu ordem a seus homens que deixassem tudo e partissem imediatamente daquele local.

 

Adaptação: Roger Alves

Fonte: conto zen.

 

Deixe um comentário





Bem vindo, visitante!

Cadastre-se em nosso site e tenha acesso a:

  • Área restrita com conteúdos exclusivos
  • Novidades no seu e-mail
  • Descontos e promoções em cursos


Mapa do Site

Fale Conosco

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Mensagem